segunda-feira, 13 de abril de 2009

Outono

Não me lembro
De ter jurado amor eterno.
Sempre tive os pés no chão.
Fosse primavera, eu lhe daria flores
Mas é só outono, quase inverno.
E tudo que posso oferecer
São folhas secas sem vida e sem cor.
Longe se ser presente de amor.

Eu não vou querer de volta
O tempo que você me pediu.
Os dias passam...
Horas análogas passam por mim
E tudo que sei
É que mesmo com um pouco de mágoa
Caminho esperando o iminente inverno.
Sei que não jurei amor eterno

Mãos vazias nos bolsos
Sinto de repente alguns trocados.
Posso pegar um trem para a outra estação,
Mas prefiro pedir carona.

Você passa e me ignora
Segue com o tempo que me tomou
Sei que depois de você a vida continua
E à procura de alguém, sigo só,
Pisando as folhas caídas na rua.

18 comentários:

  1. *****

    Esse moço de olho lindo me fez amanhecer aqui, escutando Paralamas e lendo "Outono", me perdendo nesse azul maravilhoso de seu blog.

    ..."E à procura de alguém, sigo só,
    Pisando as folhas caídas na rua".

    Adorável! Tão terno...

    Tenha uma ótima semana!

    Beijos

    *****

    ResponderExcluir
  2. o outuno também tem vida está é escondida por entre as folhas
    está e fingida de nao existir esperando o inverno e o frio na esperança do calor de um regaço...
    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. "Você passa e me ignora"

    Isso é dolorido, hein.
    Triste...

    Bjo
    =)

    ResponderExcluir
  4. Alcides;
    São magicas tuas lindas palavras...
    Acompanhadas desta linda musica que nos leva a voar como folhas secas no outono...até poderiam ser uma linda prenda de amor...todas as coisas tem a sua beleza quando estamos enamorados...
    Mas...sendo assim levo voce no meu olhar aonde quer que eu for...

    Bjs cheios de luar

    ResponderExcluir
  5. Sempre que venho aqui aprendo ou descubro algo de novo. :)

    ResponderExcluir
  6. Desperto encostado á escura noite
    Na velha e dura calçada do relento…
    Na cama onde a chuva é açoite,
    Agasalho-me com lençóis feitos de vento!

    Grato sempre pela
    Bem-vinda visita
    E comentário!
    Uma boa semana,
    No abrigo da paz
    E do amor!

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderExcluir
  7. Obrigado Helô!

    Paralamas, poesia e azul: que bom que gostamos das mesmas coisas.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  8. É verdade Luana, o inverno também tem vida e é uma vida muito bonita por sinal.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  9. Dói sim Tatha, mas faz parte do nosso amadurecimento.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  10. Moonlight,

    As palavras mágicas não são minhas, são nossas.

    Toda palavra é mágica quando tem o poder de encantar, como essas que você escreveu no comentário.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  11. Carol,

    Também sempre aprendo algo novo lá no seu espaço.

    O novo visual ficou lindo!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  12. Manzas,

    Também agradeço a sua visita e faço votos que volte sempre.

    Seu poema é muito interessante, pois o tempo é um enigma que intriga a todos nós.

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  13. Flor Baez,

    Obrigado pela visita. Volte sempre!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  14. Alcides,

    um tapete de folhas mortas permeiam o caminho da desesperança... mas o ciclo se completa: logo, logo, passando o inverno, as sementes da primavera germinarão!

    Grande beijo, meu amigo!

    ResponderExcluir
  15. Flor,

    A vida é assim, feita de ciclos.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...