sábado, 1 de dezembro de 2018

Passe o tempo que passar

                                        Foto: Alcides

                                           Na certeza de te conquistar
                         Vou entrar no teu caminho.
                         Passe o tempo que passar
                         Eu ainda serei teu vinho.

                                                                             (Alcides Vieira)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Passou











Quando tudo entre nós for saudade
Terei amadurecido o bastante
Para entender que nada é para sempre.

Terei amadurecido para entender
Que não fará nenhum sentido
Dizer que foi bom enquanto durou.

Então vou preferir o silêncio
E se alguém perguntar por você
Eu responderei secamente:
Passou!

(Alcides Vieira)

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

É manhã e eles dormem














É manhã cedo. 
Ainda dormem as aves e as águas,
Dormem os pés e os automóveis, 
Adormecem as casas e as palavras. 
Só meu coração pulsa poesia. 
Bom dia... Dia!


(Alcides Vieira)

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Uma história sem detalhes





















Choveu e um beijo aconteceu. 
Eles,
Que eram duas ilhas, 
uniram-se na mesma porção d'água.
O que aconteceu depois 
Não é história para ser contada, 
Porque eles não contaram.
Eles viveram!

(Alcides Vieira)


terça-feira, 29 de agosto de 2017

Não te esqueças

Imagem: Alcides









Se queres que a tua vida
Seja uma primavera
Não te esqueças de plantar as flores.

Se queres que a tua vida
Seja uma primavera
Não te esqueças de cuidar das flores.

Por fim,
Se queres que a tua vida
Seja uma primavera
Não te esqueças de agradecer
Por suportares o longo inverno.

                                                                   (Alcides Vieira)



quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Os peixes não multiplicam












Queria olhar os lírios do campo
E perguntar: se não tecem nem fiam,
Por que o maná lhes confiam?
Mas estando eu em meu barco
O que tem o mar a me dizer
Às três horas da manhã?
A lua cheia me vira as costas
E vai se dar ao poeta.
As estrelas nada me explicam.
Lanço a rede em águas profundas
Mas os peixes não multiplicam. 

                                           (Alcides Vieira)

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Durou só o tempo de um beijo













Foi um beijo quente,
Reticente...
Me deixou ausente, 
Tirou meus pés do chão.
Assalto a mão desarmada,
Eu me entreguei de mão beijada
Na palma da sua mão.
Foi um beijo de novela,
Fim de um filme de amor.
Foi só "kiss and say goodbye",
Mas o sentimento não se esvai.
Beijo cheio de sensações
Que prometeu não deixar saudade.
Durou só o tempo de um beijo,
Mas para mim soou
Eternidade...

                                    (Alcides Vieira)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...