sexta-feira, 10 de julho de 2009

Sem vestígio (o vazio das almas)

Não existe fotografia
Nem imagem de câmera oculta.
Não há nenhum manuscrito
Uma carta, bilhete ou nota curta.
Não há desenho no muro
Nem nas paredes das cavernas.
Não há fósseis nem objetos
Que comprovem alguma evidência
De velhos jovens apaixonados.

Ficou na vaga memória
De dois corações cansados
Por procurar, um no outro,
A verdadeira parte que lhes cabe.

Só o tempo é testemunha
De tudo o que aconteceu,
Mas este velho caduco
Insiste em dizer que não sabe
-Finge que passou ou morreu

14 comentários:

  1. Caro amigo,

    Sua poesia é única.... E, acredite, tu já é muita coisa só por ser poesta... Admiro-te demais! Tim tim!

    Luz e paz!

    Grande abraço,
    Whesley

    ResponderExcluir
  2. Alcides!
    Há acontecidos que merecem ficar apenas na memória. E não existe testemunha mais "cruel" que a nossa própria memória. O tempo talvez seja um remédio que atenue a crueldade da memória...rs
    Bjo!
    =)

    ResponderExcluir
  3. Alcides,
    Minha Palavra Mágica...
    ..."o tempo perguntou ao tempo,quanto tempo o tempo tem,o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo...quanto tempo o tempo tem?
    As memorias não tem tempo...premanecem eternamente...
    Não preciso dizer que teu poema está fantastico, pois não?
    Passando para matar saudades e agradecer seu carinho meu amigo.Até!!!

    Um bj cheio de luar

    ResponderExcluir
  4. Pois, às vezes é melhor fingir que não se sabe ou não se viu!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. O tempo passa a correr
    Não traz maquina fotográfica
    Mas deixa as marcas no nosso ser
    Que jamais serão apagadas
    Quem falou que o tempo tudo apaga?
    Quem tal asneira foi capaz de dizer
    Ao longo da vida quando as lágrimas caiem
    Não São chuva de poeira
    São as marcas de uma ilusão
    Que ainda hoje trás o velho no olhar
    De uma magoa do passado
    Que mesmo sem resisto de fotografia
    Ou bilhete ou carta de apaixonado
    Ainda arde dentro do peito
    Como fogo em uma ferida
    Meu querido Alcides,te ler me faz sonhar,me faz sair do meu 'EU'' e navegar,entre mar de ilusão,onde tua poesia ele feita com a tinta do teu coração
    Obrigado meu amigo,por mais um momento de emoção
    Desejo-te boa semana
    Beijinhos soprados na palma da minha mão pra dentro do teu doce coração
    Wicca

    ResponderExcluir
  7. Obrigado Whesley, por mais estas palavras.

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  8. É verdade Tatha, a nossa memória às vezees nos engana, mas ela tem registrado o que aconteceu.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  9. Moonlight,

    Saudades mortas, celebremos a vida.

    Obrigado por estares de volta!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  10. Sim, Gata Christie, é melhor fingir, mas enganamos a quem?

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  11. Rachel,

    Palavras aceitas,
    Beijo aceito, desejo aceito.
    E depois de aquecê-los
    Aqui em meu peito
    Com toda emoção
    Devolvo isso em dobro
    Ao seu doce coração.

    Paz e Bem!
    Alcides

    ResponderExcluir
  12. Muito vestígio deixado aos corações dos leitores amigos! Muito lindo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. É mais fácil culpar o tempo...rs..

    ResponderExcluir
  14. Jeyva,

    Alguém tem que pagar o pato. rsrs

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...