segunda-feira, 26 de julho de 2010

A maçã que eu não aceitei

Eu me lembro da maçã
Que você me ofereceu.
Vermelha, bonita e mordida.
Parecia a maçã de Eva
Ou então de conto de fadas,
Mas eu disse que não queria
Preferi engolir em seco
O desejo de passar-lhe os dentes
Sentindo o suco em minha língua.

Eu não aceitei a maçã
Porque na verdade o que eu queria
Era beijar seus lábios carnudos
E sentir a sua saliva
Misturar-se com meu desejo.

Como é estranha a metáfora!
Só agora pude entender
Que a maçã que você me mostrou
Era um ato premeditado
Para que eu, ao vê-la mordida,
Soubesse da castidade
Que já não te acompanhava
E que seu corpo, agora não virgem
Em silêncio me desejava.

24 comentários:

  1. Alcides,

    Linda postagem...a maçã e seus diversos significados...Adorei!!

    Já estava com saudades...

    Grande beijo e ótima semana!!

    Reggina Moon

    Visite:
    www.ouniversovirtual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que sutileza de desejo e que inocência do não entendimento deste ... sinais ... maçãs por todo canto, mas nossas maçãs por vezes parecem ainda estarem no alto de árvores! beijo

    ResponderExcluir
  3. UAU!!!

    Que belo texto Alcides

    Bjo
    =)

    ResponderExcluir
  4. Querido,

    Era a maçã do pecado
    Aquela que eu mordia e te oferecia
    Trazia o sabor dos lábios de mel com canela
    Dos desejos desencontrados
    De quem já não é mais donzela.
    Meu corpo tem o tempero do pecado
    Muito bem apimentado.....
    Tentei te dizer de varias maneiras
    Das aguas quentes que me percorrem as veias
    E do desejo que sinto em trovoada
    Se morderes a maçã vermelha,bonita e já mordida
    Sentiras o suco dos meus beijos em faisca
    Meu corpo de serpente te ofereço
    E já no leito aconchegada te espero
    Enlaça-me com doçura…Morde a maçã e mata meu desejo desta loucura!


    Querido poeta, ate me soube o sabor da doçura dauela maçã do pecado.....
    Lindo poema como só tu o sabes fazer!
    Mil dentadinhas com sabor de maçã com mel e canela.

    Rachel

    ResponderExcluir
  5. Meu querido
    Lindo como sempre, tinha saudades.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. Adoro maçãs... vermelhas!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. POr vezes não sabemos interpretar os sinais...

    ResponderExcluir
  8. Uhm maças?acidas,vermelhas,do amor,tanto faz .Uma maça parece ser sempre um convite!

    Linda poesia em estranha e perfeita metafora

    Vim matar saudades!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. A maçã não é a minha fruta favorita. Exceto em doces, com muita canela.
    Mas a metáfora da maça, ah, que doce ela é... Quantos pensamentos desperta...
    Inspirado poema, Alcides.
    E que a maçã lhe seja sempre doce e suculenta...

    ResponderExcluir
  10. Reggina,

    Não é de hoje que esse fruto nos provoca.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  11. Lua,

    Maçãs no alto das árvores são as mais cobiçadas e essa cobiça é parte da nossa natureza humana, sempre querer o que não se pode alcançar.

    Um beijo!
    Alcides

    ResponderExcluir
  12. Obrigado Tatha. Acredite, essa maçã é verdadeira.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo lindo poema!Lindo e sensual...Gostoso de ler e saborear.Estou retornando depois de um tempo de dor e saudade...mas,estou voltando!Saudades de vc,amigo poeta!Passei para te deixar um carinho, feito um pózinho de estrelas brilhantes, salpicado no teu coração...Doce beijo!

    ResponderExcluir
  14. Rachel,

    "Era a maçã do pecado
    Aquela que eu mordia e te oferecia"

    E eu, poeta, como não percebi isso?

    "Eu que falei: nem pensar
    Agora me arrependo
    Roendo as unhas" (Engenheiros do Hawaii)

    Um beijo sabor maçã verde!
    Alcides

    ResponderExcluir
  15. Sonhadora,

    Linda é a sua presença aqui!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  16. Flor,

    Eu só gosto das vermelhas, prefiro as verdes.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  17. É por isso que sofremos, Secreta.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  18. Lu,

    "Maçãs do amor". Bem lembrado!

    A metáfora pode soar estranha, mas é um fato real.

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  19. Assim seja, Pensador.

    Me lembrei de uma música interessante do Francis Hime, chamada Pau Brasil, se tiver oportunidade ouça. Deve ter em vídeo.

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  20. Cezarina!!!

    É com grande prazer que recebo de braços abertos a sua Alma Cigana aqui no Abismo Noturno!

    Um beijo!
    Alcides

    ResponderExcluir
  21. Querido poeta,
    Andando navegando em teu abismo noturno
    Trazendo o sabor doce da maçã
    Vim te deixar um beijinho em teu moreno rosto
    E te aconchegar a roupa para que dormes um feliz sono
    e sonhas com as cores no arco-ires em tua vida de menino.
    Pé entre pé me afasto do teu sono
    Mas te afago e te beijo com carinho (Me,Myself and I,anda muito romantica lol)
    Rachel

    ResponderExcluir
  22. Rachel,

    Que sono agradável! Obrigado!

    Um beijo!
    Alcides

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Desculpe meu amigo,exclui o comentario pq fiz no post errado!Era para o anterior mas depois de tanto tentar e nao enviar acabei deixando aqui!Embaralharam as letrinhas demais hoje,afff!rsrsrs

    Tenha um lindo dia!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...