sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Pianíssimo

Como as teclas do piano
Que precisam do preto e do branco 
E o piano precisa outros sons
Para compor seus amores
Assim sou eu nesta estrada
Procurando outros tons

Que pintem em mim novas cores.
Eu preciso de outros sóis
Que me elevem a sustenidos,
Mas se vierem bemóis,
Que sejam passados bem vividos.

10 comentários:

  1. Lindíssimo poema!A alma transformada em palavras, em música,ritmo,sons...Parabéns!Dulce cariño!

    ResponderExcluir
  2. Linda a sua canção!
    Bom fim de semana
    Aline

    ResponderExcluir
  3. Querido Poeta,

    Outras paginas encadernadas
    Em corpo ávido de desejo
    Outra boca,transportando o doce beijo
    Outro regaço que adormeço
    Em tão suave cama que eu me deito
    Outro passeio com meus dedos
    Em tão bela obra de arte
    Por entre as ondas que mergulho
    Que me leva por toda a parte
    Em outro perfume que me inebria
    Em presente desembrulhado
    Em pingos de diamantes
    Deslizando e caindo
    Dentro do caminho da nossa mente
    Que traz em papel de seda,
    Laços de puros afectos
    ............

    Alcides, vida deve ser vivida completa,
    Estar vivo é saber ver a vida com olhos de artista,não deixando apenas a vida passar por nos...
    Desejo que teu domingo esteja a ser maravilhoso,e que cada dia da tua vida seja uma nova descoberta...e um novo começo....tudo de coisas boas :)!

    Mil beijos

    ......
    Pronta pra pagar as ($50) lol
    Rachel

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Aline!

    Boa semana!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  5. Rachel,

    Não sei se a vida imita a arte
    Ou se por acaso é o inverso
    Arte e vida se transformam
    Na cadência do meu verso.
    E nesta dúvida ainda fico
    Por um bom tempo a pensar
    Se vida e arte se confundem
    Como posso entender o amar?

    Beijos!
    Alcides

    * Em breve!
    eve!

    ResponderExcluir
  6. Curto e lindo!A perfeição traduzida em versos!Simples assim!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Lu Maravilha,

    Lindo é sua presença por aqui!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  8. Como as teclas do piano, de fato, nenhum de nós pode compor a melodia da vida sozinho.
    E, como as mesmas teclas, é importante que as diferenças que existam sejam deixadas de lado para que se possam compor as mais belas harmonias, sem, entretanto, deixarem de ser respeitadas.
    E que possa o poeta compor ainda muitas e apaixonadas obras.
    Abraços!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...