quinta-feira, 16 de maio de 2013

Eu escrevo uma história em silêncio











Todos os dias, nas pedras da praia,
Eu faço um pequeno mirante
E espero você voltar.
Ondas tolas, num vai e vem incessante,
Suicidam-se à minha frente.
Pores de sol, estrelas e luar
Tentam enfeitar a paisagem,
Mas só existe mar.
E todos os dias, das pedras da praia
Eu desço os meus pés descalços,
Piso em dunas de areias indecisas
E em silêncio escrevo uma história.
A história da minha vida
Que tem os capítulos iguais.
Todos os dias, nas pedras da praia
Eu espero...
Espero...
Espero...
E você não vem.

                                                           (Alcides Vieira)

18 comentários:

  1. oi meu amigo,

    o céu e o mar são inspiração para os poetas,e cúmplices dos amantes...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rô!

      O céu e o mar são o refúgio dos amores, presentes e ausentes.

      Beijo!

      Excluir
  2. Querido amigo poeta,

    Triste mas linda a historia em silêncio!

    E sabe? Eu sei que esse assunto não tem nada a ver aqui mas...gosto muito de histórias que contêm pedras no enredo! Praias, sonhos e poemas também. Não é só pela beleza delas mas as pedras me parece transmitir uma certa fortaleza.

    A musica é linda, linda!
    "Aonde está você agora
    Além de aqui dentro de mim..."
    Poético isso, não?

    PS:E você vai se superando a cada verso!

    Beijos e um lindo dia pra você!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu Maravilha,

      Interessante o seu ponto de vista..."Havia uma pedra no meio do caminho"... Quando a gente pensa em pedra, pensa em obstáculo e você foi mais longe, mostrando que esse "obstáculo" pode ser para os outros, tornando-se então a nossa fortaleza.

      A música... perfeita!
      "Vai ser difícil sem você
      Porque você está comigo o tempo todo..."
      Poético sim!

      Obrigado!
      Beijos!

      Excluir
  3. Já estou te seguindo
    seu blog é maravilhoso, convido você e suas leitoras a conhecer meu blog
    http://toobege.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mariana! Volte sempre que quiser. Vou conhecer o ser espaço!

      Beijos!

      Excluir
  4. Boa tarde, Alcides. Triste essa espera, que um dia você poderá colocar um fim nessa paisagem mudando os capítulos da sua vida tão igual, sofrida e sem esperança!
    Pensamento que chama a melancolia, mas pode ser que seja diferente, basta você querer e colocar um fim nesse vai e vem constante!
    Beijos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Patrícia,

      Estas suas palavras são encorajadoras. Obrigado pela visita.

      Beijo meu!

      Excluir
  5. Respostas
    1. Obrigado Maria, volte sempre que desejar!

      Beijos!

      Excluir
  6. Nos silencios que tudo dizem, a espera é infindável.
    Beijito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta espera infindável deixa os corações ansiosos, Secreta.

      Beijos!

      Excluir
  7. Parabéns pela beleza do poema! Vc está cada vez melhor! Agradeço a sua presença no meu blog...Beijos perfumados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado amiga Cezarina! Seu blog é um espaço encantador.

      Beijos!

      Excluir
  8. Ola,parabéns por tão linda poesia.Abs.SU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzane!

      Obrigado pela visita e pelos elogios!

      Beijos!

      Excluir
  9. Relevo o lirismo!
    O inconformismo da perda gera angústias e trunca a vida, deixando-a em suspenso...


    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Lídia, mas a vida tem que continuar, afinal de contas não é o fim do mundo.

      Beijos!
      Alcides

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...