segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Amor a perder de vista














O seu olhar, luz e fascínio
Como fogos de artifício
Pelos quais me apaixonei.
Não, não era precipício,
Mas eu me precipitei.
Eu sei, era porto seguro
Mas como vândalo pichando o muro
Escrevi em meu coração
O seu nome profano em vão.
Foi amor a perder de vista,
Quando vi era solidão.
Você me fez acreditar
E no fim me disse – Não!

                              (Alcides)



6 comentários:

  1. oi Alcides,

    as vezes as decepções surgem sim...
    e aprendemos com elas!!!

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Rô!

      A gente aprende sim, e é um aprendizado que nos deixa mais fortes.

      Beijos!

      Excluir
  2. Há amores que nos iludem e desiludem...
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é parte do jogo da vida, amiga Secreta.

      Beijos!

      Excluir
  3. Por vezes a paixão ilude mas quando vira amor a perder de vista, tudo passa a valer a pena, ainda que um dia desilude...

    Lido poema com belíssimas rimas! Parabens!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Pode ser a perder de vista, amiga Lu Maravilha, mas mesmo que desilude a gente não perde o sentimento.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...