segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

CAPITU

Oh! flor do céu! oh! flor cândida e pura
Cantar-te é expressar vontade e medo

Pisar de leve um chão de segredo,
Tudo para tocar-te com ternura.
O espelho reflete a formosura
Do teu rosto, cabelo e o toque do meu dedo.
Uma vontade de sair desse interior degredo
Querendo do mar a noite, a limpeza e a frescura.
Olho a vaga, a ressaca, teus olhos e boca grave e séria.
Vejo no muro o teu nome e em silêncio proponho:
Se querer possuir-te, flor etérea
É lutar contra Deus, a caminho da mortalha,
Direi sorrindo ao guardião do meu sonho:
Perde-se a vida, ganha-se a batalha!

Soneto inspirado no Capítulo 55 do livro Dom Casmurro
, de Macdado de Assis.
Desenho: Flores de Escabe/Alcides

6 comentários:

  1. Oi, Alcides! Belo poema para o eterno mistério de Capitu!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo Alcides!
    Gostei muito.
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Alcides, eu também adoro Kitaro... esse cd dele é especial! Bom dia prá ti!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Alcides

    Vim da Flor para cá. Aposto sempre nas afinidades .

    Gostei muito daquí.

    bj

    ResponderExcluir
  5. FLOR E CRISTINA, o poema em forma de vaso foi pura coincidência. O desenho Flores de escabe são Escobar, Capitu e Bentinho. Capitu e Escobar caídos dos lados e Bentinho no meio, tentando manter-se em pé para contar sua história.

    CRIS, seja bem-vinda!

    Beijos a todas!
    Alcides

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...