domingo, 25 de janeiro de 2009

Só em São Paulo

Foto: Alcides

Vejo os primeiros pingos pelo vidro do carro
Pessoas apressadas fogem do temporal
E as nuvens anunciam que quem ficou pra trás
Vai sofrer na Marginal.
Chego em casa e, na secretária,
Nenhum telefonema.
Ligo a tv
As notícias são sempre as mesmas:
Falam sobre o dólar e o tempo,
Eu queria saber algo mais.
Acabou a energia e não há nada a fazer
Senão fingir que estou bem
Depois ir pra cama dormir sem você.
Enquanto durmo a chuva bate na janela
Sonho que você voltou, é primavera
E acordo no meio da noite, você não está.
Enquanto durmo a chuva bate na janela
Acordo chorando e vejo a porta entreaberta
Por onde sempre espero você voltar.

Hoje é aniversário de São Paulo. Parabéns a todos os que vivem e trabalham nessa cidade.

7 comentários:

  1. *****

    Vim lhe deixar um beijo...
    Parabéns São Paulo e sua gente!
    Boa semana

    *****

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Meu amigo, que linda homenagem vc prestou a São Paulo: a vida urbana descrita em tão sensíveis versos...

    Parabéns... a ti e a esta excepcional cidade!

    ResponderExcluir
  5. O seu post faz-me lembrar aquela canção...

    Esta página em branco
    é tudo o que resta
    de ti e de mim,
    esta voz que estremece
    quando diz devagar
    que chegou o fim.

    Nossos olhos que se encontram
    como quem se despede
    sem pressa de partir
    e de novo na memória
    um passado sem história
    que viveu de fingir.


    Quem parte deixa sempre uma parte
    deixa sempre um pedaço do que construiu
    quem fica não esquece os abraços
    do amor que partiu,
    quem fica fica sempre calado
    fica sempre sentado
    com o peito ao frio.

    O que resta de nós
    é esta dor fria
    que nos deixa sós,
    a semente que morreu
    pouco antes de gerar
    um filho em nós.

    Foste embora, meu amor,
    e eu fiquei aqui parado
    a olhar o que há-de vir.

    À espera de um cavalo
    ou de um barco que passe
    p'ra também eu partir.

    Gustavo Sequeira

    ResponderExcluir
  6. Obrigado HELÔ!

    FLOR, a vida paulistana é assim: trânsito, bolsa de valores, enchentes, stress, às vezes solidão etc.

    CRISTINA, eu não conhecia a música, mas já busquei no "tio Google", muito boa mesmo.

    Beijos a vocês!
    Alcides

    ResponderExcluir
  7. Muito legal. Eu como uma paulistana apaixonada pela minha cidade, amei! A cara dela! Beijocas!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...